Imprensa

Notícias

Notícias de 2013

Notícias de 2012

Notícias de 2011

Notícias de 2010

Notícias sobre o Haiti

Notícias de 2009

Notícias de 2008

Notícias de 2007

Concurso Adobe Youth Voices Aspire Awards UNICEF Challenge

Concurso infanto-juvenil de vídeos de um minuto

Materiais para radialistas

Dia Internacional da Criança no Rádio e na TV

Discursos do Representante do UNICEF no Brasil

Artigos

Outros discursos

Expresso 227

Contatos

 

Senado abre 5ª Semana de Valorização da Primeira Infância e Cultura da Paz

Da redação da Agência Senado

© Geraldo Magela/Agência Senado
O representante do UNICEF no Brasil, Gary Stahl (primeiro à direita), participa da abertura da 5ª Semana de Valorização da Primeira Infância e Cultura da Paz, promovida pelo Senado Federal, entre os dias 6 e 8 de novembro, em Brasília.

Brasília, 6 de novembro de 2012 – O Senado Federal abriu, nesta terça-feira (6/11), a 5ª Semana de Valorização da Primeira Infância e Cultura da Paz, que promove, até quinta-feira (8/11), conferências e cursos ministrados por 14 especialistas do Brasil e do exterior nas áreas de saúde materno-infantil e educação. "O desenvolvimento integral da criança – teoria e prática" é o tema da Semana deste ano.

O pediatra Antonio Marcio Lisboa, membro honorário da Academia Nacional de Medicina e da Academia Brasileira de Pediatria, afirmou que construir pessoas com limites é uma das armas para prevenir a violência no País. Para ele, a criança que tem uma personalidade bem estruturada na infância tem menos possibilidade de crescer e se tornar uma pessoa violenta, comparada às que foram maltratadas ou rejeitadas quando pequenas. Segundo Dr. Lisboa, crianças que sofrem maus-tratos crescem com a “semente da violência”.

Para o representante do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) no Brasil, Gary Stahl, o País avançou nas políticas voltadas à primeira infância. No entanto, ele destacou a necessidade de se promover políticas específicas para as comunidades mais vulneráveis, nas quais as taxas de mortalidade infantil ainda são altas.

Stahl disse que o número de óbitos de crianças de até 1 ano é 2,6 vezes maior entre os indígenas, e 1,4 vezes entre os negros. Além disso, as regiões Norte e Nordeste concentram 50% das mortes infantis do País.

Para o representante do UNICEF, “é preciso focar no pleno desenvolvimento infantil. Oferecer condições para a criança crescer em um ambiente livre de violência, e priorizar a mulher e a primeira infância”.

Gary Stahl parabenizou o Brasil por ter alcançado três anos antes a meta do milênio de redução da mortalidade na infância.

De acordo com o coordenador da Saúde da Criança do Ministério da Saúde, Paulo Bonilha, essa meta só foi alcançada com as ações de combate a pobreza do governo, como o Bolsa Família. Bonilha acrescentou que o País tem desenvolvido políticas voltadas para a primeira infância, como os programas Brasil Carinhoso e Saúde na Escola.

Para Vital Didonet, especialista em educação infantil da Rede Nacional Primeira Infância, o País “ainda tem que caminhar para que as crianças tenham presença nas políticas públicas”.

A 5ª Semana de Valorização da Primeira Infância e Cultura da Paz prossegue até quinta-feira. Confira a programação.

 

 
unite for children