Imprensa

Notícias

Notícias de 2013

Notícias de 2012

Notícias de 2011

Notícias de 2010

Notícias sobre o Haiti

Notícias de 2009

Notícias de 2008

Notícias de 2007

Concurso Adobe Youth Voices Aspire Awards UNICEF Challenge

Concurso infanto-juvenil de vídeos de um minuto

Materiais para radialistas

Dia Internacional da Criança no Rádio e na TV

Discursos do Representante do UNICEF no Brasil

Artigos

Outros discursos

Expresso 227

Contatos

 

Novo estudo do UNICEF mostra que as metas dos ODMs para crianças podem ser atingidas mais rapidamente se houver foco nos mais desfavorecidos

Nova Iorque, 7 de setembro – A comunidade global pode salvar milhões de vidas se investir primeiro nas crianças e comunidades mais desfavorecidas, segundo estudo do UNICEF divulgado hoje. Uma abordagem desse tipo poderia também chamar a atenção para o agravamento das disparidades que acompanham os progressos em direção aos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODMs).

As novas conclusões são apresentadas em duas publicações: Narrowing the Gaps to Meet the Goals (Reduzir as Disparidades para Atingir os Objetivos) e Progress for Children: Achieving the MDGs with Equity (Progresso para as Crianças: Alcançando os ODMs com Equidade), um compêndio de dados elaborado pelo UNICEF.

Embora grande progresso esteja sendo feito nos esforços internacionais para alcançar os ODMs, muito mais precisa ser realizado ao longo dos próximos cinco anos.

Ao comparar a eficácia de diferentes estratégias para o fornecimento de intervenções essenciais de saúde para aqueles que mais precisam, o estudo constatou que focar nas crianças mais pobres e desfavorecidas poderia salvar mais vidas por US$ 1 milhão gastos atualmente.

"Nossas conclusões desafiam o pensamento tradicional de que focar nas crianças mais pobres e desfavorecidas não é rentável", disse Anthony Lake, Diretor Executivo do UNICEF. "Uma estratégia focada na equidade trará não só uma vitória moral – correta no princípio –, mas uma vitória ainda mais emocionante: correta na prática."

O estudo foi realizado em consulta com vários especialistas externos, que descreveram as principais conclusões como surpreendentes e significativas ao mesmo tempo.

"Os resultados do estudo do UNICEF me fizeram pensar que o foco na equidade pode ser convincente tanto do ponto de vista instrumental como do ponto de vista dos valores", disse Lawrence Haddad, diretor do Institute of Development Studies, em Sussex, e autor do blog Development Horizons. Haddad fez parte do grupo de especialistas que revisaram o modelo preliminar do estudo.

As principais conclusões do estudo do UNICEF

  • Uma abordagem focada na equidade melhora a rentabilidade dos investimentos em relação a qualquer alternativa, evitando muito mais mortes maternas e infantis e atrasos no crescimento.
  • Mediante a utilização da abordagem focada na equidade, um investimento de US$ 1 milhão para reduzir o número de mortes de menores de 5 anos em um país de baixa renda e com taxa de mortalidade elevada poderia evitar cerca de 60% mais mortes do que mediante a abordagem atual.
  • Uma vez que o fardo de doenças, problemas de saúde e analfabetismo está concentrado nas populações infantis mais pobres, proporcionar serviços essenciais a essas crianças pode acelerar o progresso em direção aos ODMs e reduzir as disparidades entre as nações.

Progress for Children: Achieving the MDGs with Equity, relatório do UNICEF sobre os progressos em relação aos ODM, apresenta evidências de disparidades entre uma série de indicadores-chave, incluindo entre países em desenvolvimento e países industrializados, entre os quintis mais ricos e os mais pobres dentro das nações, entre as populações rurais e urbanas e entre meninos e meninas.

Dados-chave

  • As crianças dos 20% de famílias mais pobres do mundo em desenvolvimento têm duas vezes mais probabilidade de morrer antes de completar seu quinto aniversário do que as crianças dos 20% mais ricos.
  • As crianças dos quintis mais pobres de suas sociedades têm duas vezes mais probabilidade de estar abaixo do peso e enfrentam um risco muito maior de atraso no crescimento do que as crianças dos quintis mais rico.
  • Apesar dos grandes avanços para alcançar a paridade de gênero no ensino básico na última década, meninas e mulheres jovens em regiões em desenvolvimento continuam em considerável desvantagem no acesso à educação, especialmente no nível secundário.
  • Dos 884 milhões de pessoas que não têm acesso a fontes de água potável, 84% vivem em áreas rurais.

O relatório do UNICEF está sendo lançado em conjunto com um relatório da organização Save the Children, A Fair Chance at Life: Why Equity Matters for Children, que se concentra no ODM 4: reduzir em dois terços, entre 1990 e 2015, a mortalidade de crianças menores de 5 anos. O relatório da Save the Children analisa as disparidades no progresso em relação à sobrevivência infantil entre os ricos e os menos ricos em países ao redor do mundo e afirma que alcançar as comunidades marginalizadas é a chave para reduzir as desigualdades e alcançar o ODM 4.

"A Declaração do Milênio foi concebida para melhorar a vida das pessoas mais desfavorecidas do mundo", disse Lake. "Nós acreditamos que os resultados deste estudo podem ter um efeito real no pensamento global sobre como estamos aspirando aos ODMs, e sobre o desenvolvimento humano em geral, – ajudando-nos a melhorar a vida de milhões de crianças vulneráveis".

Os estudos estão disponíveis somente em inglês [arquivos PDF]
Progress for Children: Achieving the MDGs with Equity
Narrowing the Gaps to Meet the Goals

Mais informações:
Assessoria de Imprensa do UNICEF em Nova Iorque
Kate Donovan
Telefone: + 1 212 326 7452
E-mail: kdonovan@unicef.org

Janine Kandel
Telefone: + 1 212 326 7684
E-mail: jkandel@unicef.org

 

 
unite for children