Imprensa

Notícias

Notícias de 2013

Notícias de 2012

Notícias de 2011

Notícias de 2010

Notícias sobre o Haiti

Notícias de 2009

Notícias de 2008

Notícias de 2007

Concurso Adobe Youth Voices Aspire Awards UNICEF Challenge

Concurso infanto-juvenil de vídeos de um minuto

Materiais para radialistas

Dia Internacional da Criança no Rádio e na TV

Discursos do Representante do UNICEF no Brasil

Artigos

Outros discursos

Expresso 227

Contatos

 

Criando um Haiti para as crianças, três meses depois do terremoto

© © UNICEF video
Um menino sorri em um acampamento temporário para famílias desalojadas pelo terremoto do Haiti.

Por Thomas Nybo

Porto Príncipe, 9 de abril – Enquanto o Haiti avança lentamente após o terremoto de 12 de janeiro, o UNICEF prepara um balanço abrangente dos esforços humanitários feitos para as crianças haitianas.

VÍDEO: Assista agora (em inglês)

O relatório, que será lançado na próxima semana, apresenta um panorama dos progressos alcançados até agora, bem como um olhar crítico sobre os desafios que deverão ainda ser enfrentados – tudo com um olho no futuro, na esperança de transformar o Haiti, tendo as crianças no centro do plano.

"Uma recuperação das crianças"
"O UNICEF disse desde o início que o terremoto era uma situação de emergência das crianças", disse o Chefe Interino da Comunicação do UNICEF no Haiti, Edward Carwardine. "Então é também importante que agora venha a ser uma recuperação das crianças, que coloquemos as crianças no centro da agenda à medida que seguimos em frente, que asseguremos que suas vozes sejam ouvidas, de que suas necessidades sejam identificadas e claramente definidas, e que seus direitos sejam respeitados."

"O próximo relatório", acrescentou Carwardine, "tenta resumir o que foi alcançado, mas também identifica onde as necessidades ainda existem, onde ainda há lacunas – e há muitas coisas que ainda precisam ser feitas para as crianças."

Uma dessas crianças é Shasha Liza, de 13 anos de idade. O terremoto destruiu sua casa e matou seu pai. Ela agora está vivendo em uma pequena tenda com outras nove pessoas.

"Não é fácil viver neste campo", Sasha disse a um visitante. "Se tivéssemos tendas apropriadas, e melhor acesso à água, seria mais fácil ficar aqui por um longo período de tempo. É difícil agora – é sujo, e, quando chove, toda a sujeira se transforma em lama."

Shasha está ansiosa para voltar para a escola, e, por causa do terremoto, ela agora quer estudar política e tornar-se senadora, com o objetivo de mudar o governo do Haiti estando dentro dele.

Retorno às aulas
Com as escolas em todo o país começando a reabrir, o sonho de Shasha está agora se tornando um pouco mais acessível.

O UNICEF e seus parceiros estão trabalhando lado a lado com o governo do Haiti para levar mais de 700 mil estudantes de volta para a escola durante os próximos dois meses.

© © UNICEF video
Estudantes do lado de fora de sua escola temporária no Haiti.

No último dia 7 de abril, o Ministro da Educação do Haiti, Joel Desrosiers Jean-Pierre, juntou-se à Representante do UNICEF naquele país, Françoise Gruloos, na reabertura da escola L'Institution Sacre-Coeur. Mais de mil estudantes ansiosos compareceram ao evento.

"Nós temos que voltar para a escola," Desrosiers Jean-Pierre disse aos estudantes. "É nossa única chance de ter sucesso depois do terremoto. Então, queridas crianças, convido vocês para que assumam suas atividades escolares uma vez mais."

Educação, nutrição e proteção
Educação é uma das três áreas-chave identificadas pelo UNICEF como sendo cruciais para o futuro das crianças do Haiti. Até agora, o UNICEF distribuiu centenas de kits escolares e cerca de 1.400 tendas para servir como salas de aula temporárias.

"Trata-se de assegurar educação para cada criança – uma educação inclusiva, uma educação que não apresente barreiras ou obstáculos às crianças na volta às aulas", disse Carwardine. "Trata-se de garantir o foco sobre a nutrição das crianças. A subnutrição tem sido um grande problema aqui no Haiti, mesmo antes do terremoto, e por isso queremos ter certeza de que as crianças, ao ser afastadas dessa emergência atual, não sejam vítimas de mais uma emergência, que é a desnutrição. "

"A terceira área é a proteção", acrescentou. "Não se trata apenas de proteger as crianças nestes tempos difíceis, mas também de ter certeza de que existem sistemas e estruturas que constituem uma rede de segurança em longo prazo para as crianças, de garantir que seus direitos sejam protegidos e que seu bem-estar esteja no coração de tudo o que fazemos aqui – seja sobre política ou projetos ou serviços, que as crianças tenham esse ambiente protetor."

Um Haiti para as crianças
Para ajudar a criar esse ambiente, mais de 19 mil crianças haitianas são alcançadas a cada dia por meio de espaços amigos da criança e atividades recreativas apoiados pelo UNICEF e seus parceiros.

O UNICEF está também melhorando a vida dos sobreviventes do terremoto com um novo programa de avaliação rápida para monitorar todos os acampamentos temporários, em Porto Príncipe.

Equipes de jovens haitianos percorrem a capital em motocicletas, visitando cada acampamento a cada duas semanas. Eles rapidamente avaliam as condições, o que ajuda a direcionar recursos para as pessoas que mais precisam deles.

Seja focado em educação, nutrição ou proteção, no final, o trabalho que está sendo feito aqui é sobre uma coisa: criar um Haiti para as crianças.

 

 
unite for children