Imprensa

Notícias

Notícias de 2013

Notícias de 2012

Notícias de 2011

Notícias de 2010

Notícias sobre o Haiti

Notícias de 2009

Notícias de 2008

Notícias de 2007

Concurso Adobe Youth Voices Aspire Awards UNICEF Challenge

Concurso infanto-juvenil de vídeos de um minuto

Materiais para radialistas

Dia Internacional da Criança no Rádio e na TV

Discursos do Representante do UNICEF no Brasil

Artigos

Outros discursos

Expresso 227

Contatos

 

Três meses após o terremoto, mais crianças têm a chance de voltar às aulas no Haiti

Porto Príncipe, 5 de abril – Menos de três meses depois que um terremoto devastador sacudiu a vida de milhões de meninas e meninos no Haiti, muitas crianças na capital haitiana, Porto Príncipe, regressam hoje à escola.

O convite para voltar às aulas, liderado pelo Ministério da Educação haitiano e apoiado pelo UNICEF e seus parceiros, é o primeiro passo em uma operação que espera ver mais de 700 mil estudantes em espaços de aprendizagem ao longo dos próximos dois meses. Esse número deve aumentar até o início do novo ano letivo, em setembro.

"A demanda por educação é muito elevada no Haiti. Há uma nítida sede por aprender entre as crianças e as famílias", disse a representante do UNICEF no Haiti, Françoise Gruloos-Ackermans. "As famílias valorizam educação muito acima de qualquer outro serviço e queremos aproveitar essa paixão por aprender."

"Ao tempo em que nos concentramos em problemas que vão desde a segurança dos prédios escolares até a criação de um sistema educacional completamente inclusivo e efetivo, o dia de hoje marca um importante passo em direção àquelas metas e oferece esperança a muitas crianças afetadas por esse desastre."

O terremoto de 12 de janeiro causou a morte de cerca de 38 mil estudantes, mais de 1.300 professores e outros profissionais da educação e deixou mais de 4 mil escolas e a sede do Ministério da Educação destruídas. Todos os dados disponíveis sobre educação foram perdidos. Estima-se que quase 3 milhões de estudantes tenham sofrido uma interrupção ou suspensão completa da sua educação.

Até o momento, o UNICEF e seus parceiros, trabalhando com o governo haitiano, forneceram 3 mil tendas escolas, com kits escolares e de recreação e mobiliário escolar, para ajudar as crianças cujas escolas foram destruídas ou que se mudaram para acampamentos improvisados depois de perder suas casas. Orientação rápida foi dada aos professores e voluntários para reiniciar a educação, com um currículo provisório que abrange habilidades básicas para a vida, apoio psicossocial e prevenção de catástrofes.

O UNICEF também forneceu sete escritórios pré-fabricados para o Ministério da Educação e está trabalhando com o Ministério e demais parceiros em um modelo de escola à prova de terremotos, utilizando tecnologias de construção inovadoras e favoráveis à preservação do meio ambiente.

O governo também anunciou que o ano letivo em curso se estenderá até agosto, para oferecer às crianças mais tempo para se recuperar dos meses de aulas perdidas por causa do terremoto.

As prioridades nos próximos meses vão incluir questões como o envolvimento com o setor privado – que normalmente oferece escolarização para cerca de 80% dos estudantes matriculados no país –; o desenvolvimento de mecanismos de proteção social para apoiar as famílias mais marginalizadas e excluídas; a melhoria da qualidade do ensino, da segurança escolar, das oportunidades de educação não formal e da formação técnica e profissional; e o aumento da participação da comunidade na gestão escolar.

Mais informações:
Edward Carwardine, UNICEF no Haiti
Telefones: + 509 38 81 23 71 e + 1 646 6512492
E-mail: ecarwardine@unicef.org

 

 
unite for children