Imprensa

Notícias

Notícias de 2013

Notícias de 2012

Notícias de 2011

Notícias de 2010

Notícias sobre o Haiti

Notícias de 2009

Notícias de 2008

Notícias de 2007

Concurso Adobe Youth Voices Aspire Awards UNICEF Challenge

Concurso infanto-juvenil de vídeos de um minuto

Materiais para radialistas

Dia Internacional da Criança no Rádio e na TV

Discursos do Representante do UNICEF no Brasil

Artigos

Outros discursos

Expresso 227

Contatos

 

UNICEF lança apelo por US$ 1,2 bilhão para ajuda de emergência

Genebra, 4 de fevereiro – Enquanto a atenção global se concentra sobre os esforços para fornecer ao povo do Haiti apoio para salvar vidas, o UNICEF lançou hoje o seu Relatório de Ação Humanitária (HAR) 2010. Esse relatório anual destaca as crises mais graves que estão afetando crianças e mulheres ao redor do mundo e inclui um apelo para ajuda adicional.

O relatório deste ano destaca a situação de crianças e mulheres em 28 países e territórios, que foram identificados como estando na mais desesperadora necessidade, e pede US$ 1,2 bilhão para ajudá-las. O HAR 2010 enfatiza a crescente importância das parcerias para atender às necessidades das crianças e famílias afetadas.

"O Haiti foi um dos países que o UNICEF classificou como" em crise ", quando o Relatório de Ação Humanitária foi para a impressão, mesmo antes de o país ser atingido pelo terremoto", disse Hilde F. Johnson, Diretora Executiva Adjunta do UNICEF. "Diante de vários furacões, além de distúrbios civis, o país precisava continuamente de ajuda humanitária."

"O terremoto é um exemplo horrendo de uma outra catástrofe dupla – destruindo a vida e o sustento do povo haitiano e minando a infraestrutura e os sistemas necessários para que as ações humanitárias sejam eficazes", disse ela. "Mas estamos conseguindo resultados. Esta semana, o UNICEF e seus parceiros iniciam uma campanha que visa imunizar 500 mil crianças menores de 7 anos de idade contra sarampo, difteria e tétano.

"Enquanto maximizamos nossos esforços para acelerar a entrega de ajuda humanitária e proteção para cada criança no Haiti, o UNICEF também precisa agir para mudar a vida das crianças em todo o mundo", disse Johnson.

"As crianças estão sofrendo em muitos lugares diferentes, e por uma série de razões. Todas elas precisam da nossa ajuda. Em 2009, desastres naturais e provocados pelo homem, em larga escala e repetidamente, assolaram o Sudeste Asiático, enquanto situações de emergência foram intensificadas no Chifre da África, Afeganistão, Paquistão, República Democrática do Congo e Sudão", disse Johnson." As crianças estão sempre entre os mais afetados, e as catástrofes colocam meninas e meninos em maior risco de abuso e de graves violações dos seus direitos, incluindo violência sexual, morte e mutilação, e recrutamento forçado por grupos armados."

Todos os anos, o UNICEF responde a 200 situações de emergência em todo o mundo. O Relatório de Ação Humanitária 2010 analisa as crises mais graves, aquelas que requerem apoio excepcional.

Os 28 países e territórios estão incluídos no relatório com base na escala e na natureza, crônica ou prolongada, das situações de crise, na gravidade do seu impacto sobre crianças e mulheres e no potencial de salvar vidas. Nesses casos, é imperativo tomar medidas urgentes para salvar vidas, garantia de acesso à água potável, saneamento e higiene, saúde e nutrição; para proteger as crianças contra as piores formas de violência e abuso; e para proporcionar às crianças educação – mesmo sob a pior das circunstâncias.

O Relatório de Ação Humanitária deste ano aponta para a evolução das tendências globais que representam riscos cumulativos para crianças, incluindo a mudança climática, a instabilidade da economia global e as alterações na natureza dos conflitos – em particular a prevalência generalizada da violência sexual contra crianças e mulheres. Esses fatores somam-se à vulnerabilidade das comunidades pobres e ameaçam a sobrevivência e os direitos fundamentais das crianças.

A crise financeira global em andamento, agravada pela instabilidade dos preços dos alimentos, está causando o aumento da pobreza e da desnutrição e ameaçando seriamente o progresso que tem sido feito para crianças em alguns países em desenvolvimento. Crianças e mulheres têm sido particularmente atingidas. Em 2009, muito mais famílias pobres foram forçadas a cortar refeições e reduzir a qualidade de sua ingestão de alimentos. De acordo com um relatório da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), em 2009, mais de 1 bilhão de pessoas em todo o mundo estavam com fome – um aumento de, pelo menos, 100 milhões ao longo de 2008.

Com a gravidade da crise na Ásia, seja no Afeganistão ou no Paquistão ou nas Filipinas, as necessidades financeiras devem mais do que dobrar em 2010. No entanto, as maiores necessidades ainda estão na África ao Sul do Saara, onde cerca de 24 milhões de pessoas no Chifre da África estão sendo afetadas pela seca, pela insegurança alimentar crônica e pelos conflitos armados de 2009. Sudão, Chade, República Centro-Africana e República Democrática do Congo estão enfrentando violência e deslocamentos em massa internamente e/ou através das fronteiras, além de problemas de acesso à ajuda humanitária. A situação também permanece grave no Zimbabue, aprofundando a vulnerabilidade das crianças e das mulheres no país.

O foco deste ano do Relatório de Ação Humanitária são as parcerias. Em todos esses países e territórios, o UNICEF está trabalhando com parceiros para alcançar resultados, incluindo organizações humanitárias, grupos da sociedade civil, setor empresarial e privado e fundações.

Nos últimos anos, o UNICEF e seus parceiros têm investido significativamente na redução de riscos, na preparação para emergências, nos mecanismos de alerta precoce e nos sistemas de resposta e recuperação. A natureza dinâmica e mutável das situações de emergência implica uma adaptação consistente para garantir a preparação para futuras crises, e a antecipação eficaz das tendências para uma rápida ação e recuperação.

As parcerias do UNICEF podem ajudar a fomentar a necessária inovação, divulgação, participação e programação efetiva para fazer a diferença para o número crescente de crianças que precisam de ajuda.

"Juntamente com seus parceiros, o UNICEF continua a buscar formas inovadoras de atender às necessidades urgentes das crianças e mulheres envolvidas em situações de emergência", disse Johnson. "Somente trabalhando em conjunto, poderemos efetivamente cumprir nossa missão de promover e proteger os direitos das crianças, ajudar a satisfazer suas necessidades básicas e permitir que elas alcancem seu pleno potencial."

Para mais informações, contatar:
Veronique Taveau, UNICEF Genebra, Tel + 41 22 909 5716,
E-mail: vtaveau@unicef.org
Patrick McCormick, UNICEF Nova Iorque, Tel + 1 212 326 7426,
E-mail: pmccormick@unicef.org
Kate Donovan, UNICEF Nova Iorque, Tel +1 212 326 7452,
E-mail: kdonovan@unicef.org

 

 
unite for children