Imprensa

Notícias

Notícias de 2013

Notícias de 2012

Notícias de 2011

Notícias de 2010

Notícias sobre o Haiti

Notícias de 2009

Notícias de 2008

Notícias de 2007

Concurso Adobe Youth Voices Aspire Awards UNICEF Challenge

Concurso infanto-juvenil de vídeos de um minuto

Materiais para radialistas

Dia Internacional da Criança no Rádio e na TV

Discursos do Representante do UNICEF no Brasil

Artigos

Outros discursos

Expresso 227

Contatos

 

UNICEF e parceiros iniciam campanha de vacinação na zona do terremoto no Haiti

© UNICEF/NYHQ2010-0140/Noorani
No posto de saúde do Estádio Sylvio Cator, em Porto Príncipe, agentes vacinam criança, que está com a mãe, durante a primeira fase da campanha que protegerá as crianças pequenas da zona do terremoto contra sarampo, rubéola, difteria, tétano e coqueluche.

Por Guy Hubbard, Assessor de Comunicação do UNICEF

Porto Príncipe, 3 de fevereiro – Magalie faz careta quando a agulha perfura sua pele, e seu filho de 4 anos de idade grita quando sente a agulhada. Apesar da dor, essa agulha tem o potencial de salvar a vida de ambos – e, neste momento, essas vidas são precárias.

VÍDEO: Assista agora (em inglês)

Magalie e sua família vivem em um acampamento improvisado na capital do Haiti. Junto com centenas de milhares de outros haitianos, eles estão sendo vacinados contra sarampo, rubéola, difteria, tétano e coqueluche em uma campanha maciça de vacinação, que teve início esta semana.

"Eu quero que eles sobrevivam"
Dois dos filhos Magalie morreram no terremoto de 12 de janeiro. Ela e seus dois filhos sobreviventes ficaram soterrados nas ruínas de sua casa por 10 horas.

"Eu estava cozinhando no telhado quando o terremoto aconteceu", recorda Magalie. "Eu cobri meus dois filhos menores com o meu corpo, mas os meus outros dois filhos estavam na casa e eu não pude salvá-los. Eu só fui resgatada dos escombros às três horas da manhã."

"Eu vim aqui para vacinar meus últimos dois filhos", ela explica, "porque eu não quero que eles fiquem doentes. Eu quero que eles sobrevivam".

Risco de doenças nos acampamentos
O UNICEF, o Ministério da Saúde haitiano, a Organização Mundial da Saúde e outros parceiros organizaram a campanha de imunização para alcançar aqueles que, como Magalie e seus filhos, sobreviveram ao terremoto, mas agora estão vivendo em locais apertados, acampamentos improvisados.

As condições nos acampamentos são propícias para a propagação da doença. E ainda que a campanha esteja voltada principalmente para proteger a saúde das crianças pequenas, uma certa quantidade de vacinas também está disponível para crianças mais velhas e adultos.

Patrick Dely, um estudante haitiano de Medicina, que estava estudando em Cuba, retornou ao Haiti com uma equipe de médicos cubanos para ajudar na campanha. "Estas vacinas são importantes", diz ele, "porque, depois de um desastre como este do Haiti, a população está exposta ao risco de doenças".

© UNICEF/NYHQ2010-0141/Noorani
Profissionais de saúde preenchem cartões de vacinação para os pais das crianças atendidas na campanha de imunização que, inicialmente, tem como alvo os pequenos haitianos sobreviventes do terremoto, nos acampamentos provisórios para os desabrigados.

Luta pela sobrevivência
A primeira fase da campanha de vacinação começou no Estádio Sylvio Cator, no centro de Porto Príncipe.

"Muitas pessoas estão chegando ao estádio de futebol, e isto está ficando muito congestionado", observou o Conselheiro Sênior de Saúde de Emergência do UNICEF, Dr. Robin Nandy.

Dr. Nandy disse que as famílias desabrigadas dos acampamentos ao redor do estádio estão sendo incentivadas a trazer seus filhos para a vacinação. "Claro, temos como alvo os assentamentos, mas não vamos recusar as vacinas para qualquer pessoa que chegue ao posto de vacinação", acrescentou.

Após sua fase inicial, a campanha vai passar para outros locais, em seguida, será estendida para outras áreas afetadas pelo terremoto no país.

Para Magalie e seus filhos, e muitas famílias como a deles, que perderam tudo, a luta pela sobrevivência ainda não terminou. Mas, com o empenho e a dedicação da comunidade internacional – incluindo o UNICEF e seus parceiros –, suas chances de sobreviver ao longo da emergência e reconstruir sua vida estão melhorando.

Sobre o UNICEF
O UNICEF é o maior comprador de vacinas em todo o mundo, fornecendo as vacinas necessárias para mais da metade das crianças no mundo em desenvolvimento. Só em 2007, a organização comprou 3,2 bilhões de doses. Em 2008, o UNICEF comprou 2,6 bilhões de doses.

 

 

 

 

Doações para o Haiti

O escritório do UNICEF no Brasil encerrou, no último dia 1° de abril, sua campanha de arrecadação de recursos para o Haiti.

Caso queira ajudar a garantir os direitos das crianças e adolescentes brasileiros, saiba como contribuir com nossos programas.
unite for children