Imprensa

Notícias

Notícias de 2013

Notícias de 2012

Notícias de 2011

Notícias de 2010

Notícias sobre o Haiti

Notícias de 2009

Notícias de 2008

Notícias de 2007

Concurso Adobe Youth Voices Aspire Awards UNICEF Challenge

Concurso infanto-juvenil de vídeos de um minuto

Materiais para radialistas

Dia Internacional da Criança no Rádio e na TV

Discursos do Representante do UNICEF no Brasil

Artigos

Outros discursos

Expresso 227

Contatos

 

UNICEF e parceiros fornecem água potável para crianças e famílias haitianas

Dupla catástrofe do Haiti mostra os desafios de água e saneamento

© UNICEF/NYHQ2010-0064
Uma menina que está vivendo nas ruas de Porto Príncipe, capital do Haiti, carrega água coletada em uma das cisternas fornecidas pelo UNICEF e instaladas pela ONG internacional Ação contra a Fome.

Porto Príncipe, 26 de janeiro – Duas semanas após o terremoto que devastou o Haiti, o UNICEF continua chegando às crianças, com ajuda que salva vidas, incluindo a urgentemente necessária água potável.

Na capital haitiana, o UNICEF está agora fornecendo água potável para 235 mil pessoas em hospitais e pontos de distribuição ao redor da cidade. E a distribuição de água está aumentando significativamente. A meta é chegar a meio milhão de pessoas com abastecimento de água consistente dentro dos próximos dias.

A água potável é fundamental para impedir uma segunda onda de desastres causados por surtos de doenças, especialmente entre as crianças.

As crianças são vulneráveis
Como a agência da ONU para a questão de água, saneamento e higiene na zona do terremoto,o UNICEF está empenhado em assegurar essas necessidades básicas para as crianças, quer diretamente, quer por meio de seus parceiros no local.

Esse é um desafio no contexto da dupla catástrofe do Haiti – porque as limitações de desenvolvimento que o país já enfrentava pioraram consideravelmente em consequência do terremoto de 12 de janeiro.

"Em primeiro lugar, você tem de ter em mente que, antes do terremoto, apenas 50% de todo o país tinha acesso à água potável", disse a especialista em Água, Saneamento e Higiene do UNICEF Silvia Gaya. "As crianças em situações de emergência como esta estão mais suscetíveis a adoecer e morrer por doenças transmitidas pela água."

Trabalhando em conjunto com a DINEPA, a empresa estatal de água do Haiti, o UNICEF conseguiu criar 115 pontos de distribuição de água em toda a capital, Porto Príncipe, e localidades circunvizinhas. Muitos desses pontos foram criados nos assentamentos improvisados que os haitianos criaram porque perderam suas casas no desastre ou permanecem hesitante em voltar para seus lares por medo de novos tremores.

Caminhões e reservatórios de água
Em conjunto com o governo haitiano e outros parceiros, o UNICEF também está instalando cisternas desmontáveis nos arredores de Porto Príncipe. Caminhões com grande capacidade de armazenar água são trazidos diariamente para bombear água limpa e clorada em cisternas de 5.000 a 10.000 litros.

No bairro de Canapé Vert, por exemplo, o UNICEF e seus parceiros estão suprindo as necessidades de água potável de aproximadamente 105 mil pessoas.

E, em uma solução temporária no principal parque público da capital, Champs de Mars, uma cisterna de 10 mil litros de água foi instalada à sombra de um monumento ao herói nacional General Jean-Jacques Dessalines. O parque, com suas praças pitorescas e paisagens exuberantes, foi transformado em uma pequena cidade de tendas e abrigos improvisados que servem de habitação para 20 mil pessoas. As instalações sanitárias no local continuam inadequadas.

Fontes alternativas
Mais ou menos a uma hora de distância do Champs de Mars está a cidade de Carrefour, perto do local do epicentro do terremoto. Na Missão da Graça Internacional em Carrefour, a preocupação no momento é o fornecimento de água potável, mais do que o saneamento.

A missão abriu suas portas para as pessoas desabrigadas quando comunidades inteiras na região foram reduzidas a escombros. Embora o UNICEF tenha supervisionado a escavação de 45 latrinas no local, mais de 10 mil pessoas alojadas lá têm apenas duas cisternas de água de pequeno porte.

Além disso, a DINEPA despacha um caminhão de água para a missão por dia – mas não é suficiente para atender à demanda de todos de cozinhar, tomar banho e beber água no acampamento.

"Esperamos que os residentes estejam recebendo água de fontes alternativas fora do complexo, uma vez que o que aqui se apresenta é completamente inadequado", disse Silvia Gaya do UNICEF. "Nós vamos trabalhar para trazer até aqui reservatórios de água para atender às necessidades imediatas de uso diário. Enquanto isso, com a construção das latrinas, podemos oferecer um pouco de dignidade e condições sanitárias para as famílias que estão residindo temporariamente aqui."


Richard Alleyne contribuiu com esta história.

 

 

 

 

Doações para o Haiti

O escritório do UNICEF no Brasil encerrou, no último dia 1° de abril, sua campanha de arrecadação de recursos para o Haiti.

Caso queira ajudar a garantir os direitos das crianças e adolescentes brasileiros, saiba como contribuir com nossos programas.
unite for children