Imprensa

Notícias

Notícias de 2013

Notícias de 2012

Notícias de 2011

Notícias de 2010

Notícias sobre o Haiti

Notícias de 2009

Notícias de 2008

Notícias de 2007

Concurso Adobe Youth Voices Aspire Awards UNICEF Challenge

Concurso infanto-juvenil de vídeos de um minuto

Materiais para radialistas

Dia Internacional da Criança no Rádio e na TV

Discursos do Representante do UNICEF no Brasil

Artigos

Outros discursos

Expresso 227

Contatos

 

Meninas e meninos de todo o mundo falam sobre mudança climática

© UNICEF/Genebra/Ricardo Pires

Adolescentes brasileiros participam ativamente do Fórum Crianças e Clima em Copenhague

Copenhague, 2 de dezembro – Enquanto Copenhague se prepara para receber os líderes mundiais e suas delegações para a Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática (COP15), de 7 a 18 de dezembro, um grupo um pouco menor, mas não menos importante, de adolescentes e jovens de 44 países já começou a discussão sobre o futuro do nosso planeta.

Organizado pelo UNICEF e pela cidade de Copenhague, o Fórum Crianças e Clima começou no último fim de semana na prefeitura da capital dinamarquesa com 165 crianças de vários países, como China, Estados Unidos, Finlândia, Nigéria, Quiribati e Brasil.

A cerimônia de abertura, enriquecida com performances musicais e muita interação entre todos os participantes, convergiu para uma única mensagem: as gerações futuras estão, de fato, levando à sério a questão da mudança climática e têm a intenção de agir continuamente para aumentar a consciência global em relação a esse tema.

“Nós não podemos aceitar as coisas como estão. Nós precisamos ficar e lutar, ainda que as forças contra as quais estamos lutando sejam tão poderosas a ponto de ter o poder de afetar os ventos, as águas e as estações. São a força da Mudança Climática. Nós mesmos a criamos e agora é nossa responsabilidade freá-la”, disse a condessa Alexandra, Patrona do Comitê da Dinamarca para o UNICEF e uma das palestrantes convidadas do Fórum.

“Pode ser que percamos o ânimo diante da magnitude do problema. Mas é muito importante não perder a esperança. Temos de pensar positivamente e precisamos encorajar os outros para que ajam positivamente junto conosco”, concluiu.

O dia de abertura do Fórum começou cedo para os jovens embaixadores do clima. Às 9h, no salão principal, uma exibição conjunta produzida pelos adolescentes foi montada retratando as principais preocupações e recomendações sobre a questão das alterações climáticas. A exposição, aberta ao público em geral, atraiu olhares curiosos que passavam pela área da Prefeitura, localizada no centro de Copenhague.

Após montar a exposição, todos os adolescentes se reuniram pela primeira vez no plenário, uma encantadora sala datada de setembro de 1905. Facilitadores e delegados trocaram as primeiras impressões e ideias em um ambiente acolhedor, saindo, em seguida, para se preparar para a sessão de abertura, que começou à uma hora da tarde.

"Espero que sejamos ouvidos como um dos primeiros países que deverão ser afetados pela mudança climática. Nós queremos ser capazes de dizer aos nossos filhos que nós preservamos o planeta para eles", disse Axam Maumoon, 15 anos, da delegação das Maldivas.

Tão logo terminaram os discursos e avisos iniciais, os adolescentes reuniram-se no salão principal para discutir livremente questões relacionadas com o clima e seus países.

No final da tarde, antes da sessão plenária para discutir as principais sinergias entre o Fórum Crianças e Clima e a COP15, os adolescentes foram divididos em seis grupos, para falar sobre a Convenção sobre os Direitos da Criança (CDC), que completou 20 anos na semana passada.

© UNICEF/BRZ/Adriana Negry
O Brasil está sendo representado, no Fórum Crianças e Clima, em Copenhague, por Ândria Farias, 15 anos, da cidade de Prainha, no Pará, e Matheus Silva, 14 anos, de Rio Branco, no Acre.

A delegação brasileira, composta por Ândria Farias, 15 anos, e Matheus Silva, 14 anos, participou ativamente da plenária, contribuindo nas discussões com a sua experiência concreta de viver na Amazônia. E, em seguida, preparou um lindo painel sobre os efeitos da mudança climática no Brasil, especialmente na Amazônia. Os adolescentes deram, ainda, algumas entrevistas para jornais locais e para emissoras de TV européias.

A correlação entre mudança climática e os direitos da criança é muito óbvia para a maioria dos jovens delegados. Se eles são forçados a viver em um planeta ambientalmente comprometido, a maioria das crianças não será capaz de aproveitar sua vida, uma vez que as ameaças à sua saúde e ao seu bem-estar mental vão aumentar.

O que as crianças parecem ver e entender tão claramente ainda está para ser compreendido por alguns adultos, que insistem em prejudicar o planeta, sem qualquer consideração para com as futuras gerações. No entanto, dado o empenho e a vontade demonstrados pelos jovens delegados que participam do Fórum na Dinamarca, agir para impedir novos danos ao meio ambiente não será mais uma opção: vai se tornar uma necessidade vital e um assunto de sobrevivência.

Desde a abertura, os adolescentes têm trabalhado intensamente para se capacitar como jovens embaixadores do clima, quando voltarem para seus países. Eles estão compartilhando conhecimentos e experiências, e antes de tudo, eles estão trabalhando na Resolução Crianças e Clima, a ser apresentada ao Presidente da COP15 na sessão de encerramento do Fórum na sexta-feira. Os jovens embaixadores do clima visitarão escolas e locais relacionados com o clima em Copenhague para participar em oficinas e atividades práticas sobre a mudança climática.

Para mais informações:
Karin Aaen, UNICEF Dinamarca,
Telefone: + 45 2539 6099
E-mail: kaaen@unicef.dk

Visite o site do Fórum (em inglês): www.childrensclimateforum.org

 

 
unite for children