Imprensa

Notícias

Notícias de 2013

Notícias de 2012

Notícias de 2011

Notícias de 2010

Notícias sobre o Haiti

Notícias de 2009

Notícias de 2008

Notícias de 2007

Concurso Adobe Youth Voices Aspire Awards UNICEF Challenge

Concurso infanto-juvenil de vídeos de um minuto

Materiais para radialistas

Dia Internacional da Criança no Rádio e na TV

Discursos do Representante do UNICEF no Brasil

Artigos

Outros discursos

Expresso 227

Contatos

 

UNICEF e OMS lançam relatório sobre diarreia, a segunda maior causa de mortalidade infantil

Nova Iorque, 14 de outubro – De acordo com um relatório que o UNICEF e a Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgaram hoje, embora haja tratamentos econômicos e eficazes para diarreia, a doença mata mais crianças do que a aids, a malária e o sarampo juntos.

Intitulado Diarreia: Por que as crianças continuam morrendo e o que pode ser feito, o relatório contém dados sobre as causas da diarreia, o acesso ao tratamento e prevenção, bem como um plano de sete pontos de reduzir as taxas de mortalidade.

"É trágico que a diarreia, apenas um inconveniente no mundo desenvolvido, mate cerca de 1,5 milhão de crianças a cada ano", disse Diretora Executiva da UNICEF, Ann M. Veneman. “Há tratamentos baratos e eficazes contra a diarreia. No entanto, nos países em desenvolvimento, apenas 39% das crianças com diarreia recebem o tratamento recomendado.”

"Nós sabemos que as crianças estão morrendo por causa da diarreia. Sabemos também o que deve ser feito para prevenir essas mortes. Devemos trabalhar com governos e parceiros para implementar este plano de sete pontos,” disse a Dra. Margaret Chan, Diretora-Geral da OMS.

A diarreia é um sintoma comum de infecção gastrointestinal, que pode ter várias origens. No entanto, muito poucos organismos produzem os casos mais graves. Mas um, o rotavírus, é responsável por mais de 40% de todas as internações de crianças menores de 5 anos. Recentemente existe uma vacina segura e eficaz contra o rotavírus, mas ainda é muito difícil obtê-la, na maioria dos países em desenvolvimento.

Embora a maioria dos episódios de diarreia infantil seja leve, casos graves podem causar uma perda significativa de líquidos e, portanto, a desidratação. Quando os líquidos não são substituídos rapidamente, a criança pode morrer. Terapia de reidratação oral é a base da reposição de líquidos, e a nova fórmula de sais de reidratação oral de baixa osmolaridade é um remédio simples, econômico e capaz de salvar vidas, já que evita a desidratação em crianças que sofrem de diarreia.

Globalmente, cerca de 88% das mortes por diarreia são atribuídas à má qualidade da água, saneamento inadequado e falta de higiene. Em 2006, 2,5 bilhões de pessoas não tinham acesso a instalações sanitárias adequadas e aproximadamente uma em cada quatro pessoas nos países em desenvolvimento defecou ao ar livre.

Acesso à água potável e boas práticas de higiene são altamente eficazes na prevenção de diarreia infantil. Foi demonstrado que a lavagem das mãos com sabão e água reduz a incidência de doenças diarreicas em mais de 40%, tornando esta prática uma das intervenções mais eficazes para a redução da mortalidade infantil por essa causa.

A saúde geral e o estado nutricional de crianças determinam, em grande medida, a sua susceptibilidade à diarreia e seus efeitos nocivos. As crianças desnutridas têm episódios de diarreia mais freqüentes, severos e prolongados, e, por sua vez, repetidos episódios podem piorar seu estado nutricional.

O plano de sete pontos para salvar a vida das crianças afetadas por diarreia inclui dois elementos de tratamento e cinco elementos de prevenção.

Os dois elementos do tratamento são:

  1. Substituição de líquidos para evitar desidratação.
  2. A administração de zinco, que reduz a gravidade e a duração dos episódios.

Os cinco elementos da prevenção são:

  1. Vacinas contra rotavírus e contra o sarampo.
  2. Aleitamento materno imediato e exclusivo e suplementação com vitamina A.
  3. Lavar as mãos com água e sabão.
  4. Melhorar a qualidade da água e aumento do consumo.
  5. Promover o saneamento básico nas comunidades.

As campanhas de combate à diarreia infantil realizadas na década de 1970 e 1980 foram bem-sucedidas por educar as pessoas que cuidam de crianças e ampliar a escala da terapia de reidratação oral para evitar a desidratação. Apesar desses resultados promissores, rapidamente a atenção passou para outros problemas de saúde. Mas há agora uma necessidade urgente de dedicar novamente atenção e recursos para tratar e prevenir a diarreia.

O relatório Diarreia: Por que as crianças continuam morrendo e o que pode ser feito só está disponível em inglês [arquivo PDF].

Mais informações:
Kathryn Donovan, UNICEF, Nova Iorque
Telefone: + 1 212 326 7452
E-mail: kdonovan@unicef.org

 

 
unite for children