Imprensa

Notícias

Notícias de 2013

Notícias de 2012

Notícias de 2011

Notícias de 2010

Notícias sobre o Haiti

Notícias de 2009

Notícias de 2008

Notícias de 2007

Concurso Adobe Youth Voices Aspire Awards UNICEF Challenge

Concurso infanto-juvenil de vídeos de um minuto

Materiais para radialistas

Dia Internacional da Criança no Rádio e na TV

Discursos do Representante do UNICEF no Brasil

Artigos

Outros discursos

Expresso 227

Contatos

 

Abaixo-assinado da campanha Rompa o Silêncio!, do UNICEF, é entregue em Congresso Mundial

Ato simbólico foi realizado durante evento que definiu um plano de ação para proteger crianças e adolescentes de todo o mundo

© UNICEF/Pirozzi
Nils Kastberg, diretor regional do UNICEF para a América Latina e o Caribe, recebe o abaixo-assinado das mãos de três dos signatários.

Rio de Janeiro, 27 de novembro – O UNICEF realizou o ato de entrega do abaixo-assinado da campanha “Rompa o Silêncio!” durante o III Congresso Mundial de Enfrentamento da Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, que aconteceu entre os dias 25 e 28 de novembro no Rio de Janeiro.

Durante o primeiro mês da campanha promovida pelo UNICEF, em média, por dia, 205 brasileiros assinaram o documento por meio de um website. Isso significa que, em apenas um mês, quase 7 mil pessoas exigiram, pela Internet, medidas enérgicas de prevenção e repressão de casos de exploração e se comprometeram a denunciar esse tipo de violência.

No evento de entrega, três signatários representaram os participantes da mobilização: a advogada Priscila Neves Maciel Monteiro de Oliveira e os estudantes José Henrique Calvancante Silva e Carolina de Oliveira Lucas.

O grupo entregou o abaixo-assinado de 16 metros ao Diretor Regional do UNICEF para a América Latina e o Caribe, Nils Kastberg, e à presidente do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda), Maria Luiza Moura Oliveira. O Conanda é um orgão nacional constituído por representantes de governos e da sociedade civil. É responsável por deliberar e fiscalizar políticas de promoção, proteção e defesa dos direitos de crianças e adolescentes.

Após a entrega do documento, Carolina, soltou, em um ato simbólico, o longo documento com as assinaturas na presença de jornalistas e adolescentes que compareceram ao evento, revelando os nomes dos participantes da campanha.

“Trabalho com ONG e sei que é muito difícil mobilizar as pessoas. Quando vi o pergaminho com todas aquelas assinaturas fiquei contente em saber que há tanta gente exigindo ações para combater o problema”, disse Carolina, que participou do congresso representando a ONG Canto Jovem, de Natal (RN). Há quatro meses, a adolescente ganha uma bolsa da ONG para trabalhar como monitora em oficinas para adolescentes sobre temas como gênero e sexualidade.

A exemplo de outros 300 meninas e meninos de 96 países, Carolina, de 16 anos, e José Henrique, de 13, representaram os adolescentes no congresso mundial. Todos os jovens tiveram uma participação fundamental tanto nos debates quanto na definição de estratégias de enfrentamento da exploração sexual.

“A sociedade não pode mais conviver com esse problema. É preciso prevenir casos e as pessoas também precisam denunciar. O abaixo-assinado do UNICEF pode ajudar a mudar essa situação”, diz José Henrique, 13 anos. Ele mora em Calvancate (GO) e foi escolhido para participar do evento após ter sido aprovado em primeiro lugar em um curso de empreendedorismo.

A advogada Priscila Neves Maciel Monteiro de Oliveira participou do ato simbólico a convite do UNICEF. Colaboradora da organização há alguns anos, ela considerou importante fazer parte da mobilização. “Eu sempre acompanhei as atividades do UNICEF e soube do abaixo-assinado pela Internet. Considerei a ação muito positiva porque se trata de um grave problema. Por isso, decidi participar.”

“Apesar dos avanços no combate a esse problema, o número de casos de exploração sexual continua crescendo e cada nova tecnologia criada é seguida por novas formas de explorar as crianças. A sociedade precisa se mobilizar contra essa prática. Juntos, podemos mudar essa realidade”, disse Nils Kastberg, do UNICEF.

Mais informações:
Assessoria de Comunicação do UNICEF
Estela Caparelli: mecaparelli@unicef.org

 

 
unite for children