Imprensa

Notícias

Notícias de 2013

Notícias de 2012

Notícias de 2011

Notícias de 2010

Notícias sobre o Haiti

Notícias de 2009

Notícias de 2008

Notícias de 2007

Concurso Adobe Youth Voices Aspire Awards UNICEF Challenge

Concurso infanto-juvenil de vídeos de um minuto

Materiais para radialistas

Dia Internacional da Criança no Rádio e na TV

Discursos do Representante do UNICEF no Brasil

Artigos

Outros discursos

Expresso 227

Contatos

 

Apoiar as mães para que amamentem vai melhorar as chances de sobrevivência das crianças, diz UNICEF

© UNICEF/BRZ/Mila Petrillo

Nova Iorque, 1º de agosto – Para celebrar a Semana Mundial de Aleitamento Materno – de 1 a 7 de agosto –, o UNICEF, em conjunto com a Aliança Mundial para o Aleitamento Materno (Waba) e a Organização Mundial da Saúde (OMS), recomenda que se aumente o apoio – profissional ou não – às mães lactantes.

“O aleitamento materno é um instrumento decisivo para melhorar a sobrevivência infantil”, disse Ann M. Veneman, diretora executiva do UNICEF. “O aleitamento materno exclusivo durante os seis primeiros meses de vida pode evitar até 13% das mortes de crianças menores de 5 anos nos países em desenvolvimento”.

Ainda que nos últimos 15 anos tenha havido progressos, somente 38% dos bebês com menos de seis meses no mundo em desenvolvimento recebem aleitamento materno exclusivo.

Recentes estudos científicos descobriram que a educação e o apoio às mães ampliam consideravelmente o número de meses em que as mães amamentam seus bebês, e são especialmente benéficos para promover o aleitamento materno exclusivo. Outros estudos têm demonstrado que a orientação e o apoio nos estabelecimentos de saúde propiciaram aumento no número de mães que iniciam o aleitamento materno durante a primeira hora após o nascimento.

O aleitamento materno exclusivo durante os primeiros seis meses de vida reduz a mortalidade infantil vinculada às doenças comuns da infância e a desnutrição.

O aleitamento materno pode reduzir o número de mortes causadas por infecções respiratórias agudas e diarréia – duas importantes causas de mortalidade infantil – assim como de outras doenças infecciosas. Também contribui para a saúde das mães e estabelece um vínculo entre a mãe e o bebê.

Alimentação infantil adequada pode salvar vidas, assegurar crescimento e desenvolvimento melhores e contribuir para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio.

O UNICEF trabalha com seus parceiros e governos em muitos países para garantir o apoio cada vez maior às mães lactantes por parte dos profissionais de saúde, conselheiros, grupos maternos, empresas, prestadores de socorro em situações de emergência, legisladores, famílias e redes sociais comunitárias.

No Brasil
Para incentivar o aleitamento materno exclusivo e apoiar mães e famílias no cuidado com seus bebês, o UNICEF utiliza, no Brasil, o kit Família Brasileira Fortalecida e o álbum Promovendo o Aleitamento Materno, para que o município assegure o direito da gestante e do bebê ao aleitamento materno exclusivo até o sexto mês de vida. Também incentiva hospitais e maternidades para que se tornem Hospitais Amigos da Criança, mudando condutas e rotinas responsáveis pelos altos índices de desmame precoce e promovendo a humanização do parto.

Semana Mundial de Aleitamento Materno
A Semana Mundial de Aleitamento Materno foi celebrada pela primeira vez em 1992 e hoje é comemorada em mais de 120 países pelo UNICEF e seus parceiros, entre eles a Aliança Mundial para o Aleitamento Materno (Waba) e a Organização Mundial da Saúde (OMS). O objetivo é promover o aleitamento materno exclusivo durante os primeiros seis meses de vida da criança, já que a amamentação representa enormes benefícios para sua saúde, pois fornece nutrientes fundamentais, protege de enfermidades fatais, como a pneumonia, e estimula seu crescimento e desenvolvimento. O aleitamento materno continuado, depois dos seis meses até os dois anos de idade ou mais, combinado a uma alimentação complementar segura e apropriada, é a alimentação infantil mais adequada.

 

 

 

 

Aleitamento materno exclusivo

Os bebês até o sexto mês de vida não precisam de chás, sucos, outros leites, nem mesmo de água. Devem ser alimentados exclusivamente com o leite materno.

Após essa idade, deverá ser dada alimentação complementar apropriada, mas a amamentação deve continuar até o segundo ano de vida da criança ou mais.

Confira todas as vantagens do aleitamento materno.

Hospital Amigo da Criança

Saiba mais sobre a Iniciativa Hospital Amigo da Criança, criada para promover o aleitamento materno em todo o mundo.
unite for children