Imprensa

Notícias

Notícias de 2013

Notícias de 2012

Notícias de 2011

Notícias de 2010

Notícias sobre o Haiti

Notícias de 2009

Notícias de 2008

Notícias de 2007

Concurso Adobe Youth Voices Aspire Awards UNICEF Challenge

Concurso infanto-juvenil de vídeos de um minuto

Materiais para radialistas

Dia Internacional da Criança no Rádio e na TV

Discursos do Representante do UNICEF no Brasil

Artigos

Outros discursos

Expresso 227

Contatos

 

UNICEF avalia situação da infância no Semi-árido e resultados de 2007 na Bahia

Salvador, 14 de dezembro – Os principais resultados da atuação do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) na Bahia, no ano de 2007, serão apresentados em coletiva de imprensa, no Centro de Convenções do Ondina Apart Hotel (Av. Oceânica, 2.400, Ondina), na segunda-feira 17 de dezembro, às 9 horas. O coordenador do UNICEF na Bahia e em Sergipe, Ruy Pavan, vai fazer uma avaliação do trabalho realizado nos 188 municípios do Semi-árido inscritos na Edição 2008 do Selo UNICEF Município Aprovado.

“O Semi-árido é uma das prioridades do programa de cooperação do UNICEF no Brasil para o período de 2007 a 2011. O Selo tem o objetivo de contribuir para o alcance dos objetivos do Pacto Nacional Um mundo para a criança e o adolescente do Semi-árido”, explica Pavan. Além de fazer uma análise qualitativa de estatísticas relacionadas à infância e adolescência da região, o coordenador vai apresentar resultados de ações e projetos desenvolvidos pelo UNICEF no litoral sul da Bahia, Salvador e Região Metropolitana.
 
A exposição fotográfica Meu município me faz crescer!, organizada no Salão Açores, relembra alguns dos mais importantes momentos do Selo, como os eventos de certificação (Edição 2005-2006) e de lançamento (Edição 2007-2008), e encontros de capacitação de adolescentes, de técnicos de governos municipais e de organizações da sociedade civil, realizados em diferentes regiões da Bahia.

A produção também apresenta experiências bem-sucedidas de educação para a convivência com o Semi-árido, a diversidade e riquezas naturais e culturais da região, observadas em cenas do cotidiano de meninas e meninos, como indígenas da aldeia Kiriri, de Muquém do São Francisco, e da comunidade quilombola Gipaí, de Retirolândia.

“As 23 fotografias expressam a urgência de assegurarmos o direito de cada criança do Semi-árido de brincar e aprender, receber apoio e atenção, crescer e se desenvolver, livre de qualquer forma de exploração”, diz Vilma Cabral, oficial de projetos do UNICEF.

Organizada pela fotógrafa Manuela Cavadas, a exposição ainda inclui registros de momentos políticos do Selo UNICEF e do Pacto Nacional Um mundo para a criança e o adolescente do Semi-árido, compromisso assumido pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pelo governador Jaques Wagner de concentrar esforços na melhoria da qualidade de vida das crianças e adolescentes da região que concentra os piores indicadores sociais do País.

A coletiva de imprensa vai contar com a presença de representantes das organizações não-governamentais Juspopuli Escritório de Direitos Humanos, Movimento de Organização Comunitária (MOC), Grupo de Apoio à Prevenção à Aids (Gapa-BA), Cipó – Comunicação Interativa, Instituto Fazer Acontecer, além do Ceafro – Educação e Profissionalização para a Igualdade de Raça e Gênero (Ceao/Ufba), parceiros do UNICEF na implementação do Selo.

Infância e adolescência do Semi-árido – A Bahia tem 14 milhões de habitantes, dos quais 7 milhões estão nos 279 municípios do Semi-árido (IBGE/2007). Quase 41% dos moradores da região têm de até 17 anos. Cerca de 70% das crianças vivem com famílias pobres. Entre as meninas e os meninos que nasceram no Semi-árido, em 2004, apenas 30,6% tiveram mães com assistência pré-natal adequada (sete ou mais consultas, como recomenda a OMS). Somente 11,4% dos adolescentes de 14 e 15 anos são concluintes do ensino fundamental.

O Selo UNICEF Município Aprovado é uma metodologia de mobilização social, apoio técnico, monitoramento e avaliação do desempenho dos municípios do Semi-árido brasileiro na promoção de programas e políticas públicas voltadas para a infância e a adolescência. A proposta do projeto é mobilizar e articular esforços de todos os setores sociais para promover os direitos das crianças e adolescentes. Os municípios que alcançam os melhores resultados por esforços empreendidos no setor recebem o reconhecimento internacional.

Outras informações:
Andréia Neri (71) 3183-5700 ou 9199-0913

 

 
unite for children