Imprensa

Notícias

Notícias de 2013

Notícias de 2012

Notícias de 2011

Notícias de 2010

Notícias sobre o Haiti

Notícias de 2009

Notícias de 2008

Notícias de 2007

Concurso Adobe Youth Voices Aspire Awards UNICEF Challenge

Concurso infanto-juvenil de vídeos de um minuto

Materiais para radialistas

Dia Internacional da Criança no Rádio e na TV

Discursos do Representante do UNICEF no Brasil

Artigos

Outros discursos

Expresso 227

Contatos

 

Daniela Mercury, embaixadora do UNICEF no Brasil, participa da cerimônia de entrega do Prêmio Itaú-Unicef

© Gladstone Campos
A cantora Daniela Mercury e Marie-Pierre Poirier, Representante do UNICEF no Brasil, na entrega do Prêmio Itaú-Unicef 2007

Brasília, 27 de novembro – “É maravilhoso ver todas estas ONGs finalistas, representando, aqui nesta noite, regiões de todo o Brasil”, disse a Embaixadora do UNICEF no Brasil e ganhadora do Grammy Latino, Daniela Mercury, durante sua fala na cerimônia de entrega do Prêmio Itaú-Unicef no último dia 26 de novembro, em São Paulo. “A energia, o otimismo e a iniciativa do excelente trabalho que fazem ajudam o Brasil – governos, sociedade civil, empresas e comunidades – a garantir o direito de cada criança e cada adolescente brasileiro à educação”. Nos últimos 12 anos, Daniela Mercury vem trabalhando incansavelmente com o UNICEF para promover os direitos de crianças, adolescentes e mulheres por todo o Brasil. 

O Prêmio Itaú-UNICEF é o resultado da bem-sucedida parceria na área de educação entre UNICEF, a Fundação Itaú Social e o Cenpec. A cada dois anos, são premiadas ONGs que trabalham para assegurar o direito de cada criança brasileira a uma educação de qualidade,  principalmente daquelas que vivem em condições de vulnerabilidade socioeconômicas. Em 2007, 1.574 projetos concorreram ao prêmio.

“Nos últimos 12 anos, esta iniciativa vem tendo um impacto significante e positivo na vida de milhões de meninas e meninos brasileiros”, disse Marie-Pierre Poirier, Representante do UNICEF no Brasil. “Para garantir o direito à educação às crianças brasileiras, cada criança deve ter assegurado o acesso à educação de qualidade e essa educação precisa ser integrada, contextualizada e individualizada.”

Este ano, 33 projetos finalistas, representando nove regiões, receberam R$ 8 mil, um computador e uma impressora. Desses, quatro projetos (Criança Capoeira Esporte e Cultura, Estação do Conhecimentos, Olho Vivo e Pró-Arte) ganharam o Prêmio Itaú-Unicef em sua categoria específica (micro, pequeno, médio e grande porte, respectivamente), recebendo R$ 70 mil cada. O ganhador do Grande Prêmio foi o projeto Escola e Comunidade: Um Diálogo Necessário, agraciado com R$ 100 mil. O projeto é desenvolvido pelo Cria, de Salvador, Bahia, atende 100 crianças e adolescentes de 6 a 18 anos e pretende promover situações de aprendizado que visem ao desenvolvimento pessoal, do senso crítico para a participação na vida social por meio de práticas de arte-educação e cidadania.   

O Prêmio Itaú-Unicef não somente provê recursos importantes para os projetos vencedores, como também ajuda no desenvolvimento de boas práticas de construção e de implementação de projetos, criando um rede social de proteção e educação. Da mesma forma, mobiliza vários setores da sociedade para apoiarem a melhoria da qualidade da educação pública, dentro do contexto do programa Todos pela Educação. A edição 2007do prêmio incluiu uma importante inovação: a adoção de indicadores de resultados para avaliar as áreas técnicas, financeira, educacional e social, o que permite a construção de um mapa detalhado sobre a ONG participante e o seu projeto. Isso tem um impacto positivo na qualidade e na efetividade da educação em todo o Brasil. Fato esse particularmente importante em um país onde 97,6% das crianças, de 7 a 14 anos, estão matriculadas na escola, mas 660 mil (sendo a maioria desses afrodescentes ou dos Estados do Norte e Nordeste) não freqüentam a sala de aula.

Apesar da alta taxa de acesso ao ensino fundamental, em cada 100 crianças, apenas 53 conclui seus estudos. Daqueles que freqüentam a escola, mais de 300 mil meninos e meninas entre 10 e 11 anos não sabem ler e nem escrever. Para ajudar a transformar essa situação, o Prêmio Itaú-Unicef é uma referência nacional no que diz respeito à melhoria das políticas educacionais. Além disso, faz parte de uma ampla estratégia de mobilização para garantir os direitos de cada criança a partir da implementação de políticas públicas educacionais eficientes.

A aliança entre a Fundação Itaú, o Cenpec e o UNICEF foi estabelecida, em 1995, com missão de melhorar a vida de crianças e adolescentes brasileiros, garantindo, assim, seus direitos a uma educação de qualidade. A adesão do Cenpec foi essencial para o sucesso da iniciativa, uma vez que a ONG dedica-se ao desenvolvimento de metodologias e materiais de treinamento de profissionais, além de conduzir estudos e avaliações sobre educação no País. A parceria foi ainda mais fortalecida com a entrada da Undime, Congemas, Rede Andi, Canal Futura e Consed.

Entre 1994 e 1999, o Banco Itaú e o UNICEF lançaram um investimento e um plano de capitalização no qual parte dos lucros dos investidores individuais era convertida em uma contribuição mensal para o Fundo. Nesse período, o plano arrecadou mais de US$ 16 milhões para projetos de educação no Brasil. Desta maneira, contribuiu para garantir que um número crescente de crianças e adolescentes tivessem acesso à educação e às práticas pedagógicas de qualidade, que acontecem não só na escola, mas também em outros espaços de aprendizado e socialização.

 

 
unite for children