Imprensa

Notícias

Notícias de 2013

Notícias de 2012

Notícias de 2011

Notícias de 2010

Notícias sobre o Haiti

Notícias de 2009

Notícias de 2008

Notícias de 2007

Concurso Adobe Youth Voices Aspire Awards UNICEF Challenge

Concurso infanto-juvenil de vídeos de um minuto

Materiais para radialistas

Dia Internacional da Criança no Rádio e na TV

Discursos do Representante do UNICEF no Brasil

Artigos

Outros discursos

Expresso 227

Contatos

 

UNICEF apóia governo brasileiro para reduzir a taxa de transmissão do HIV e da sífilis na infância

Brasília, 24 de outubro – O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) apóia o Ministério da Saúde na implementação do Plano Nacional de Redução da Transmissão Vertical do HIV e da Sífilis, lançado nesta quarta-feira (24/10), no auditório do Ministério da Saúde, em Brasília. Essa ação mobilizará governos federal, municipal e estadual em torno de projetos de prevenção e cuidados para eliminar a sífilis congênita e reduzir a próximo de zero a transmissão do HIV da mãe para o bebê durante a gravidez, parto e ou amamentação. As metas estabelecidas pelo plano devem ser cumpridas até 2011. O anúncio foi feito pelo Ministro da Saúde, José Gomes Temporão, e contou com a participação da oficial de projetos do UNICEF Daniela Ligiéro.
 
O plano também prevê a ampliação da cobertura de testagem para o HIV/aids e a sífilis durante os exames de pré-natal. Segundo estimativas do Ministério, o número de testes anuais de sífilis realizados em mulheres grávidas passará de 2,1 milhões para 4,8 milhões, e do anti-HIV aumentará de 1,4 milhão para 2,3 milhões. A ação vai garantir o direito de milhares de mulheres a conhecer seu status sorológico. Assim, as gestantes HIV positivo e com sífilis terão maior acesso ao tratamento e aos cuidados para a sua própria saúde e para evitar a transmissão do vírus para a criança.

O UNICEF está apoiando o Programa Nacional de DST e Aids na capacitação de profissionais de saúde e mobilização de gestores, com foco nas regiões Norte e Nordeste, onde as taxas de transmissão vertical são as mais altas. Esses profissionais são fundamentais para garantir um pré-natal de qualidade, pois, se diagnosticada e tratada durante a gravidez, a mulher é curada da sífilis e não transmite a doença para o bebê. Em relação ao HIV, não há cura para a futura mãe, mas, com o tratamento, as chances de o bebê nascer com aids são reduzidas para menos de 1%. O UNICEF apoiou também o programa na aquisição de testes rápidos para serem oferecidos em regiões de difícil acesso ao diagnóstico, como a Região Norte.

A transmissão vertical do HIV é a principal causa dos casos de aids em crianças com até 12 anos. Garantir o acesso ao teste de HIV para todas as gestantes é essencial para acabar com a transmissão vertical. No Brasil, os desafios são grandes. Estima-se que 0,4% das gestantes brasileiras vivam com HIV e 1,6% tenham sífilis. O que agrava ainda mais a situação é o fato que a maior parte não sabe que é soropositiva.

Para ajudar o País a dar uma resposta positiva ao problema, o UNICEF tem como uma das prioridades em seu trabalho no Brasil, até 2011, proteger crianças e adolescentes do HIV/aids.

Para mais informações
Alexandre Magno, (61) 3035 1951

 

 
unite for children