Nossas prioridades

Infância e adolescência no Brasil

Sobreviver e se desenvolver

Aprender

Proteger(-se) do HIV/aids

Crescer sem violência

Ser prioridade absoluta nas políticas públicas

Adolescentes

Raça e etnia

Esportes e lazer

Lista das instituições apoiadas pelo UNICEF

 

Conheça Nicole: uma superagente brasileira de Saúde Infantil

© UNICEF/Kent Page

"Oi, Miguel", Nicole fala ao sentar-se ao lado do menino. "Você sabe por que as vacinas são importantes?" Miguel tem apenas 4 anos de idade e fica fascinado pelo sorriso carinhoso de Nicole, mas, na verdade, não sabe muito bem o que responder.

Sem problema! Nicole sabe a resposta, e sabe como explicá-la a Miguel. Com apenas 9 anos de idade, Nicole já é uma superagente brasileira de Saúde Infantil capacitada. "As vacinas ajudam a manter saudáveis crianças como nós", diz a Miguel, segurando as mãos dele. "As vacinas garantem que nós não vamos pegar doenças ruins."

As duas crianças estão usando o uniforme escolar – uma camiseta regata nas cores amarela e branca, com um grande sol amarelo, sorridente. Nicole e Miguel frequentam a Escolinha Sol, em uma comunidade pobre em Fortaleza. Para sobreviver, a escola depende de donativos e de trabalhadores voluntários. O que sabe sobre vacinação, higiene e boa saúde Nicole aprendeu com estudantes da universidade local de Medicina – voluntários que ensinam cada novo grupo de superagentes de Saúde Infantil na escola.

Como qualquer super-herói, Nicole veste uma roupa diferente quando está atuando em seu papel de superagente brasileira de Saúde Infantil: é um jaleco simples, azul, vestido por cima da camiseta regata da escola. Mas como qualquer uniforme, assim que veste o jaleco, Nicole parece sentir-se mais confiante antes de encontrar-se com Miguel, enquanto pensa no que vai dizer a ele.

"As vacinas são aplicadas de duas maneiras", ela diz a Miguel. "Uma maneira é usando uma agulha que entra no seu braço." Enquanto explica, Nicole usa o dedo indicador para mostrar a Miguel o local onde a injeção é aplicada. "A outra maneira é colocando na sua boca umas gotinhas, que você vai engolir. Abra a boca e podemos fingir", ela diz. Miguel abre a boca obedientemente e Nicole finge pingar uma gota. Toda essa concentração acaba em uma grande gargalhada.

© UNICEF/Kent Page

Nicole é apenas uma de muitas superagentes de Saúde Infantil na Escolinha Sol. No Brasil, esse programa de educação em saúde realizado por crianças, para crianças, vem-se expandindo para outras escolas, baseado no programa brasileiro, altamente eficaz, de agentes de saúde. Desde 1990, esse programa vem sendo um dos fatores mais importantes de redução das taxas de mortalidade de menores de 5 anos no País. Agentes de saúde percorrem comunidades em todo o território, fazendo visitas de casa em casa, realizando um trabalho fundamental para a redução das mortes de menores de 5 anos causadas por pneumonia, diarreia e desnutrição, ajudando a expandir a cobertura de vacinação contra doenças infantis evitáveis, como sarampo, e conscientizando as famílias sobre a importância da higiene. Como resultado, o Brasil alcançou o quarto Objetivo de Desenvolvimento do Milênio em 2012 – muito antes do prazo limite dos ODM, que é 2015.

Ainda há muito trabalho a ser feito, uma vez que as disparidades em todo o País significam que em muitas comunidade pobres – como a de Nicole – e em meio a grupos marginalizados, inclusive povos indígenas do Brasil, as taxas de mortalidade de menores de 5 anos são motivo de preocupação e precisam ser reduzidas.

Os esforços inovadores e bem-sucedidos implementados no Brasil para a redução da mortalidade de menores de 5 anos simbolizam os esforços implícitos ao compromisso "Uma promessa renovada", assinado ao longo de apenas um ano por 176 países (inclusive o Brasil), para acelerar o ritmo das quedas na mortalidade na infância. A realização desse compromisso demanda esforços colaborativos envolvendo governos, sociedade civil, organizações religiosas, setor privado, comunidades, famílias... e crianças dedicadas, como Nicole.

Texto/Fotos: Kent Page, Fortaleza, Brasil, 22 de agosto de 2013

 

 
unite for children