Nossas prioridades

Infância e adolescência no Brasil

Sobreviver e se desenvolver

Aprender

Proteger(-se) do HIV/aids

Crescer sem violência

Ser prioridade absoluta nas políticas públicas

Adolescentes

Raça e etnia

Esportes e lazer

Lista das instituições apoiadas pelo UNICEF

 

Adolescente participante da Plataforma dos Centros Urbanos no Rio de Janeiro quer ser parte da transformação da sua comunidade

© Cedaps
Renato Gardel discursa na abertura do V Fórum Urbano Mundial.

Quem conhece o adolescente Renato Gardel logo se encanta com sua gentileza e capacidade de comunicação. Ele tem apenas 18 anos, mas muita história para contar.

Nascido em Juazeiro, na Bahia, aprendeu desde cedo a conviver com diferentes pessoas. Seus pais se separaram quando ele era ainda bem pequeno. Na separação, Renato ficou sob os cuidados do pai, que era dependente químico. Enquanto se tratava para tentar se livrar do vício, deixava o menino na casa de diferentes amigos. Aos 4 anos, foi adotado por uma senhora, que o levou para o Rio de Janeiro e com quem vive até hoje, embora a guarda definitiva tenha sido concedida quando ele já tinha 13 anos, quando o pai já havia sido assassinado.

Morador da Cidade de Deus, Renato sempre estudou em escola pública. Atento às oportunidades, ingressou no programa de jovens aprendizes de uma grande loja de varejo, onde trabalhava durante o dia. À noite, cursava o ensino médio. Passado algum tempo, percebeu que não se identificava com o trabalho que estava realizando e foi em busca de novos caminhos. Fez um curso de seguros, trabalhou em uma seguradora por algum tempo, mas aquele trabalho também não o fazia feliz.

Foi quando começou a fazer um curso de inglês oferecido por uma organização não governamental (ONG) na comunidade em que mora. Logo começou a se envolver na administração da ONG, atuando como voluntário. Ali conheceu a Plataforma dos Centros Urbanos. “Gostei da proposta da Plataforma e da ideia de ser um Adolescente Comunicador”, explica Renato. “Além das atividades específicas de Adolescente Comunicador, participo de todas as ações realizadas com o Grupo Articulador Local, como as pesquisas e a elaboração de plano de ação. Quero ser parte da transformação da minha comunidade”, complementa.

Na Plataforma, Renato já teve a oportunidade de participar de um debate com o prefeito do Rio de Janeiro, de ouvir a opinião de crianças e adolescentes de sua comunidade sobre a garantia de seus direitos, de aprender sobre técnicas e ferramentas de comunicação e de representar os adolescentes e jovens brasileiros na Assembleia de Juventude do V Fórum Urbano Mundial, em março de 2010. No evento, emocionou a plateia ao falar do papel de sua geração: “Não somos apenas uma faixa etária. Nós somos a ponte, a sinalização, o convite, o desejo e a possibilidade de transformações que habitam a alma de todos nós”, falou.

Para atuar como Adolescente Comunicador da Plataforma, papel que acumula com o de promotor de saúde, Renato recebe uma bolsa-auxílio de R$ 200,00 da Secretaria Municipal de Saúde. Complementa a renda com trabalhos de informática, como a elaboração de sites e logotipos.

Este ano, Renato foi aprovado pelo Programa Universidade para Todos (ProUni), do governo federal, conseguindo uma bolsa de estudos integral para cursar a faculdade de Marketing. Agora, tem três planos: continuar suas atividades na Plataforma, concluir a faculdade para poder usar o marketing para causas sociais e viajar à Bahia para conhecer pessoalmente as irmãs e a mãe biológica, com quem mantém contato pela internet.

 

 

 

 

Garantindo os direitos de meninas e meninos nas cidades brasileiras


unite for children