Nossas prioridades

Infância e adolescência no Brasil

Sobreviver e se desenvolver

Aprender

Proteger(-se) do HIV/aids

Crescer sem violência

Ser prioridade absoluta nas políticas públicas

Adolescentes

Raça e etnia

Esportes e lazer

Cooperação Horizontal Sul-Sul

Lista das instituições apoiadas pelo UNICEF

 

Desenvolvimento infantil

© UNICEF/BRZ/Mila Petrillo

Os seis primeiros anos de vida são fundamentais para o desenvolvimento integral de meninas e meninos. Por isso, o UNICEF dá prioridade, em suas ações, ao direito de cada criança brasileira a sobreviver e se desenvolver.

Está comprovado cientificamente que é na primeira infância que a criança desenvolve grande parte do potencial mental que terá quando adulto. Sendo assim, essa fase constitui-se uma janela de oportunidades. A atenção integral nessa faixa etária influencia no sucesso escolar, no desenvolvimento de fatores de resiliência e auto-estima necessários para continuar a aprendizagem, na formação das relações e da autoproteção requeridas para independência econômica e no preparo para a vida familiar.

Até o sexto ano de vida, o desenvolvimento do cérebro é muito rápido e pode ser afetado por fatores biológicos, psicossociais, herança genética e pela qualidade do ambiente em que se vive e se convive. Esse processo pode, a longo prazo, afetar a capacidade estrutural e funcional, influenciando negativamente o desenvolvimento cognitivo e socioemocional do ser humano.

A primeira infância também é um excelente investimento. Estudo feito para High/Scope Educational Research Foundation, em 1993, indica que cada dólar investido em políticas públicas destinadas a crianças de até 6 anos representa 7 dólares economizados em políticas públicas de compensação e de assistência social. Além disso, segundo estudo realizado pelo Ipea, em 2000, uma criança que freqüenta pelo menos dois anos de creche ou pré-escola, quando adulta, tem seu poder de compra aumentado em 18%.

Por isso, dar prioridade às crianças de até 6 anos e às suas famílias na construção e implementação de planos integrados e intersetoriais representa o reconhecimento da importância estratégica dessa faixa etária. Espera-se que esses planos garantam o aumento nos orçamentos públicos federal, estadual e municipal direcionados a serviços integrados de saúde, educação, cultura, assistência, proteção às crianças e suas famílias. Entretanto, para que esses serviços alcancem seus propósitos, é necessário que o poder público articule-se com a sociedade civil e a iniciativa privada.

Um dos principais objetivos programáticos do UNICEF é, portanto, influenciar as políticas públicas, estimulando a implementação de planos, programas e projetos voltados para a atenção a crianças de até 6 anos de idade. Nesse sentido, gestores federais, estaduais e municipais, bem como a sociedade brasileira de um modo geral (radialistas, profissionais de saúde, educadores infantis, vereadores, empresários, juízes, promotores, legisladores, conselheiros, líderes comunitários e religiosos), serão cobrados para que cumpram o seu importante papel na construção de políticas públicas de qualidade voltadas à primeira infância.

 

 
unite for children