1ª quinzena de fevereiro - 2005
Campanha de prevenção ao HIV - Carnaval 2005

Crianças, adolescentes e HIV/Aids

Segundo o UNICEF, no Brasil, os dois grandes desafios do combate à epidemia do HIV/Aids são a prevenção da transmissão vertical (a infecção pelo HIV durante a gravidez, parto ou na amamentação) e o crescimento da epidemia entre meninas adolescentes.

No caso da transmissão vertical, o UNICEF chama a atenção para o fato de que, no Brasil, quase metade das 17,4 mil infecções entre crianças e adolescentes é causada por transmissão vertical (apesar dos importantes avanços no enfretamento da infecção na gestação e no parto no País). No caso dos adolescentes, há um crescimento assustador da infecção entre as meninas. Em 2003, segundo dados do Ministério da Saúde/Programa Nacional de DST/Aids, a taxa de incidência por 100 mil habitantes foi de 1,6 para adolescentes meninos (com idades entre 13 a 19 anos), enquanto para as adolescentes meninas era de 2,1 no mesmo ano, na mesma faixa etária.

Em 2005, com o Programa Nacional de DST/Aids, o UNICEF vai ajudar a reforçar programas de testagem para gestantes e adolescentes, de prevenção da transmissão vertical com oferta de testes rápidos a mulheres grávidas e apoio técnico a redes de atendimento a crianças e adolescentes que vivem com o HIV.

Embaixadora do UNICEF
participa de campanha
contra Aids

A embaixadora do UNICEF no Brasil, Daniela Mercury, aderiu à campanha de prevenção ao HIV/Aids do Ministério da Saúde para o Carnaval 2005. Além de gravar o jingle da campanha, a cantora baiana participou do filme que já está sendo veiculado por emissoras de televisão em todo o País.

A música – trilha sonora dos spots produzidos para rádio e dos filmes que serão veiculados na televisão e no cinema – é uma adaptação do samba Com que roupa eu vou, de Noel Rosa.

Daniela Mercury, assim como os outros artistas que participaram da campanha, não cobrou cachê.

Faça o download dos spots para rádio:
Versão 30 segundos
(arquivo mp3 - 266 Kb)
Versão 60 segundos (arquivo mp3 - 552 Kb)

Conheça os outros materiais da campanha

Saiba quem são os 36 artistas que participaram do filme

Caderneta inclui direitos e nutrição

No Brasil, quase 90 mil crianças morrem, a cada ano, antes de completar o quinto aniversário. Essas mortes poderiam ser evitadas se as crianças recebessem acompanhamento adequado em casa e nos centros de saúde. O número de mulheres que morrem por causa de complicações na gravidez ou no parto também ainda é preocupante. O último levantamento divulgado pelo Ministério da Saúde, em 2003, aponta que a taxa de mortalidade materna é de 74 por 100 mil nascidos vivos. Para reduzir esse índice, o Brasil precisa melhorar o atendimento pré-natal às gestantes e aos seus bebês. Por essas e outras razões, o uso correto da nova caderneta será muito importante.

Além dos espaços para a identificação da criança, gráfico de peso por idade e acompanhamento do calendário de vacinação, a nova caderneta inclui os direitos fundamentais da criança aos serviços de saúde e orientação para as famílias sobre o desenvolvimento e os estímulos que meninos e meninas devem receber nos primeiros anos de vida.

Nova caderneta de saúde da criança

Crescer com saúde é um direito de cada menino e de cada menina

A nova caderneta de saúde da criança, que será lançada no dia 17 de fevereiro pelo Ministério da Saúde, visa acompanhar mais de perto o crescimento e o desenvolvimento de meninos e meninas até os 10 anos.

A caderneta vai ser entregue a todas as crianças nascidas no País. Para atender essa demanda, 3,5 milhões de cadernetas serão produzidas e distribuídas em hospitais e maternidades.

Para saber mais sobre a nova caderneta da criança, visite a página sobre Desenvolvimento Infantil no site do UNICEF Brasil – www.unicef.org.br

Pessoas em todo o Brasil respondem a apelo do UNICEF

Doações para as crianças sobreviventes dos tsunamis no Oceano Índico já ultrapassam R$ 895 mil reais

O mundo inteiro se comoveu com o drama dos países atingidos pelos terremotos e pelos tsunamis, na Ásia e na África, e se mobilizou para ajudar os sobreviventes da tragédia. No Brasil, foram feitas mais de 7,2 mil doações ao UNICEF. O dinheiro arrecadado até agora, R$ 895.456,65, já foi enviado para os escritórios do UNICEF na Indonésia, Sri Lanka, Tailândia, Índia, Somália, Malásia e Maldivas.

O UNICEF estima que cerca de 1,5 milhão de crianças e adolescentes estão sofrendo com as conseqüências do desastre. Milhares de meninos e meninas se tornaram órfãos, perderam-se de suas famílias e muitos estão vulneráveis a doenças, exploração e violência.

Pela primeira vez, em 55 anos, o escritório do UNICEF no Brasil arrecadou recursos destinados ao exterior. Normalmente, as doações feitas no País são aplicadas em projetos de defesa dos direitos de meninas e meninos brasileiros.

Para acompanhar as ações do UNICEF nos países afetados pelos tsunamis, acesse http://www.unicef.org

O nome deste boletim é uma homenagem ao artigo 227 da Constituição Federal que trata dos direitos de crianças e adolescentes brasileiros.
O artigo 227 é regulamentado pelo Estatuto da Criança e do Adolescente.

Toda a legislação referente a crianças e adolescentes pode ser encontrada na biblioteca virtual do UNICEF, disponível em http://www.unicef.org/brazil.
Para mais informações sobre os assuntos e projetos descritos neste boletim,
ou para agendar entrevistas com os profissionais do UNICEF, entre em contato com
Rachel Mello - tel.: (61) 3035 1947 ou Flávia Ribas - tel.: (61) 3035 1951