1ª quinzena de novembro - 2005
UNIDOS VAMOS VENCER A AIDS!

Nesta sexta-feira dia 11 de novembro, será lançada para a América Latina a campanha Unidos com as crianças e os adolescentes. Unidos vamos vencer a Aids!. A campanha chama a atenção sobre como a epidemia do HIV/Aids afeta milhões de crianças e adolescentes em todo o mundo. Segundo dados do UNICEF e do Unaids, a cada minuto, uma criança menor de 15 anos morre por causa da Aids. Em 2004, três milhões de pessoas morreram por causa da Aids, um sexto dessas mortes foram de crianças com menos de 15 anos.

Na América Latina e no Caribe, estima-se que 48 mil crianças e adolescentes vivam com o HIV. Os adolescentes e jovens, principalmente as meninas, encontram-se em situação especialmente vulnerável à epidemia.

No Caribe a situação é especialmente preocupante porque a região ocupa o segundo lugar em número de casos de HIV/Aids. O país mais afetado é o Haiti, onde mais de uma a cada 20 pessoas de 15 a 49 anos está infectada. Das 280.000 pessoas que vivem com HIV/Aids no Haiti, em torno de 6% são crianças menores de 15 anos.

O lançamento acontece durante a reunião da Concasida, a primeira reunião de cúpula de presidentes da América Central sobre o tema do HIV/Aids e a maior reunião regional sobre Aids, que reunirá centenas de especialistas e ativistas no tema durante esta semana.

A campanha Unidos com as crianças e os adolescentes. Unidos vamos vencer a Aids! será lançada no Brasil no dia 22 de novembro, com apresentação de dados sobre o País e metas que deverão ser alcançadas para se proteger crianças, adolescentes e mulheres da epidemia.

UNICEF LANÇA CAMPANHA DE COMBATE AO TRABALHO INFANTIL, COM APOIO DO GRUPO YPY DE COMUNICAÇÃO

O UNICEF no Brasil lançou uma campanha de combate ao trabalho infantil, no dia 1º de novembro, convidando jornais e revistas a publicar anúncios sobre o tema. Os anúncios foram criados gratuitamente pela DM9DDB, uma das três agências de publicidade do Grupo Ypy de Comunicação, e terão veiculação em países da América Latina, por meio dos escritórios locais do UNICEF.

Trabalho infantil é ilegal! Denuncie!

A denúncia pode ser feita ao Conselho Tutelar, à Delegacia Regional do Trabalho, às secretarias de Assistência Social ou diretamente ao Ministério Público do Trabalho.

Confira os endereços no site do UNICEF - www.unicef.org.br

As peças da campanha mostram brinquedos típicos de crianças, como carrinhos, pás, chaves-inglesas, martelos e vassouras de plástico colorido, lembrando que milhões de meninas e meninos brasileiros chegam precocemente ao mercado de trabalho, antes mesmo da idade legal e da conclusão de seus estudos.

Segundo dados do IBGE, 2,7 milhões de crianças com idade entre 5 e 16 anos trabalham no Brasil ilegalmente e quase um milhão de crianças e adolescentes estão fora da escola porque trabalham.

“Essas crianças estão perdendo sua infância, e o País, sua riqueza mais importante”, lembra a representante do UNICEF no Brasil, Marie-Pierre Poirier.

Para Marie-Pierre, as empresas de comunicação têm um papel fundamental na construção de uma sociedade mais justa, mais solidária e compreensiva.

Parte dos anúncios mostra a realidade, exibindo imagens reais de ferramentas (martelo, chave-inglesa, pá) de trabalho. Os demais remetem à infância, utilizando desenhos para lembrar que a criança só deve utilizar objetos do mundo adulto de forma lúdica (vassoura, carrinho de areia). “O mais importante de tudo é que a mensagem fique clara e seja disseminada por e entre todos: denuncie o trabalho infantil, não contrate mão-de-obra de crianças, pois se o fizer estará comprometendo não apenas o futuro daquele menino ou menina, mas o futuro de todo o Brasil”, acredita Sérgio Valente, presidente da DM9DDB e diretor de criação da campanha assinada por Rodrigo Bombana e André Pessoa.

Jornais que quiserem aderir à campanha podem publicar os anúncios em suas páginas. Para encomendar os anúncios, envie uma mensagem para rmello@unicef.org

UNICEF INCENTIVA CRIAÇÃO DE CONSELHOS DE DIREITOS EM MUNICÍPIOS DO SEMI-ÁRIDO

Para que as políticas públicas voltadas para meninos e meninas que vivem no Semi-árido sejam discutidas por toda a sociedade, o UNICEF está apoiando 1.173 municípios da região para que criem seu Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente.

Os Conselhos de Direitos são formados por representantes do governo e da sociedade civil para que discutam as prioridades e os problemas enfrentados pela infância e a adolescência e encontrem soluções em conjunto. Sua criação e funcionamento estão previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente, mas em muitas cidades o Conselho ainda não existe.

Os 1.173 municípios que o UNICEF está acompanhando estão inscritos no Selo UNICEF Município Aprovado. Trata-se de uma iniciativa de mobilização para que os municípios implementem políticas públicas que ajudem a melhorar as condições de vida dos 11 milhões de meninos e meninas que vivem no Semi-árido. Ao final de dois anos, os municípios que cumprirem suas metas receberão o Selo, um reconhecimento público internacional do UNICEF.

Para continuar concorrendo ao Selo, os municípios devem criar os Conselhos de Direitos até 30 de novembro.

O nome deste boletim é uma homenagem ao artigo 227 da Constituição Federal que trata dos direitos de crianças e adolescentes brasileiros.
O artigo 227 é regulamentado pelo Estatuto da Criança e do Adolescente.

Toda a legislação referente a crianças e adolescentes pode ser encontrada na biblioteca virtual do UNICEF, disponível em http://www.unicef.org.br.
Para mais informações sobre os assuntos e projetos descritos neste boletim,
ou para agendar entrevistas com os profissionais do UNICEF, entre em contato com
Rachel Mello - tel.: (61) 3035 1947 ou Flávia Ribas - tel.: (61) 3035 1951