1ª quinzena de março - 2005
UNICEF e especialistas discutem segurança alimentar e infância no Semi-árido

Durante a 32ª sessão do Comitê Permanente de Nutrição das Nações Unidas, o UNICEF vai comandar a oficina O Semi-árido Brasileiro e a Segurança Alimentar e Nutricional, no dia 17 de março. Na oficina, serão apresentados dados sobre desnutrição de crianças e atendimento pré-natal. Os participantes também debaterão as alternativas de convivência com o Semi-árido e iniciativas que reduzem riscos de insegurança alimentar.

O estado de insegurança alimentar e nutricional representa grande risco aos 11 milhões de meninos e meninas que vivem na região. Em 95% dos municípios, a taxa de mortalidade infantil é maior do que a média nacional e as deficiências nutricionais, afecções perinatais e infecções respiratórias são responsáveis por mais de 50% das mortes de crianças menores de 1 ano.

Caravana do Esporte vai percorrer 10 cidades no interior do Brasil

O UNICEF e o canal de TV esportivo ESPN Brasil lançam, no dia 8 de março, a Caravana do Esporte. O projeto promove o direito da criança e do adolescente ao lazer e à prática de atividades esportivas. A Caravana vai visitar 10 cidades no interior das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

Milhares de crianças e adolescentes terão a oportunidade de participar de oficinas esportivas, promovidas por educadores e atletas do Instituto Esporte e Educação, dirigido pela jogadora de vôlei Ana Moser. A filmagem das atividades se transformará em documentários, transmitidos pela ESPN Brasil, na TV a cabo. Em cada município, entidades parceiras do UNICEF apóiam a iniciativa, mobilizando meninos, meninas e as comunidades para as atividades da Caravana.

A primeira cidade visitada será Alcântara, no Maranhão, onde vivem meninos e meninas de comunidades remanescentes de quilombos. A Fundação da Criança e do Adolescente do Estado do Maranhão e as pessoas envolvidas no projeto Nyamê participam das atividades. Acompanhe mais notícias no site www.unicef.org.br

Produções jornalísticas sobre crianças e adolescentes podem concorrer a prêmios

Estão abertas as inscrições para a 4ª edição dos Prêmios Ibero-Americanos de Comunicação pelos Direitos da Infância e da Adolescência

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), por meio de seu Escritório Regional para a América Latina e o Caribe, a Agência de Notícias EFE e o Comitê Espanhol para o UNICEF convocam jornalistas e comunicadores de todos os países da América Latina, além de Espanha e Portugal e dos meios de comunicação latinos dos Estados Unidos para que participem dos Prêmios Ibero-americanos de Comunicação.

Neste ano, haverá cinco categorias de premiação: imprensa, rádio, televisão, trabalho gráfico e televisão dirigida ao público infantil e adolescente. Um prêmio inédito será concedido ao melhor trabalho sobre infância, adolescência e HIV/Aids, entre os candidatos de qualquer categoria. Cada trabalho premiado receberá US$ 4 mil e uma escultura do artista plástico equatoriano Oswaldo Guayasamín, falecido em 1999.

As inscrições vão até o dia 31 de agosto. Os trabalhos inscritos devem ter sido publicados ou veiculados entre os dias 1º de setembro de 2003 e 31 de agosto de 2005. Para obter mais informações e conhecer o regulamento, a partir de março, acesse a sala de imprensa virtual do UNICEF Brasil em http://www.unicef.org.br

Mais de 1.500 profissionais já participaram, nas edições anteriores, inscrevendo seus trabalhos de mídia impressa, rádio e televisão sobre o tema direitos da infância e da adolescência.

O nome deste boletim é uma homenagem ao artigo 227 da Constituição Federal que trata dos direitos de crianças e adolescentes brasileiros.
O artigo 227 é regulamentado pelo Estatuto da Criança e do Adolescente.

Toda a legislação referente a crianças e adolescentes pode ser encontrada na biblioteca virtual do UNICEF, disponível em http://www.unicef.org/brazil.
Para mais informações sobre os assuntos e projetos descritos neste boletim,
ou para agendar entrevistas com os profissionais do UNICEF, entre em contato com
Rachel Mello - tel.: (61) 3035 1947 ou Flávia Ribas - tel.: (61) 3035 1951